quarta-feira, 16 de março de 2016

Medo? Por quê? Se joga!

          
           Hoje tive aquela sensação de medo! Não como medo de escuro e essas coisas que a gente sente quando é mais nova. Mas, senti medo de uma coisa que acho que você também já sentiu: O medo do novo.
           Sabe quando a mãe da gente nos deixa no portão da escola num primeiro dia de aula com aquele sorriso encorajador, e sentimos aquele calafrio e borboletas no estomago por: Não conhecemos absolutamente nada nem ninguém e aquela sensação de que não vamos achar a sala pra se sentar ou que não teremos amigos?
          Hoje eu tive esse medo bobo...
          Eu me mudei.. Isso mesmo, háhá.. mudei de casa. Acho maravilhoso mudança! Não via a hora de mudar. Queria renovar muitas coisas esse ano e, uma delas, era sair da onde estava. Sentia que aquele lugar não me pertencia mais. Então, mudei! Estou em uma casinha cheirando tinta ainda, de tão novinha. Pequena, mas aconchegante! Eu vou mostrar ela logo, logo.. aí vocês vão ver que delicinha que é.
          Mas, voltando ao assunto, acordei cedo hoje para ir trabalhar e fui procurar o bendito ponto de ônibus. Tento ao máximo não ser tão tímida e, sim, mais simpática e otimista o tempo todo. Mas, no fundo, eu sei que sou tímida demais e tem muito a melhorar ainda. Sabe quando bate aquela vergonha de perguntar uma informação a um estranho na rua? Então, um receio de que eles percebessem o medo e pensassem que eu estava perdida (não que não estivesse rs). Poderia levantar a cabeça e dizer pra mim mesma " Quem tem boca vai à Roma", como diz aquele ditado. 
          No entanto, a timidez tomou conta do meu sentimento naquele momento e eu senti o tal "medo do novo". Medo de não achar o ponto de ônibus, medo de pegar o ônibus errado, medo de não saber qual ponto descer, medo de não saber voltar para casa. E, ja posso adiantar, tudo foi muito mais simples do que imaginava que seria...
          Entrei na Van e sentei em um banco perto da janela com um sentimento estranho e o coração acelerado. Estava com  vergonhas das pessoas desconhecidas que também estavam ali. Coisa boba né? Mas foi assim que eu me senti. Foi olhando para aquele nascer do Sol lindo para fora da janela, desviando de olhar para as pessoas, que acalmei o coração. Botei o fone de ouvido e observei as paisagens daquele bairro simples passar enquanto a passeava nas ruas numa velocidade média. Soube facilmente em qual ponto descer e no resto do dia eu havia até me esquecido que estava vivendo algo novo. Como de costume, uma correria TOTAL!!!
          Foi aproximando o fim do expediente  que lembrei que teria que voltar para casa.. Eu não conhecia o bairro e ficava pensando: "caraaaca, e se eu não souber voltar embora? e se eu descer em algum ponto diferente e me perder?"  Juro que não era exagero, é horrível você não saber onde está.
          Entrei no busão e desci no mesmo ponto que havia partido aquela manhã.
          Não teve segredo nenhum e nada de extraordinário. Foi só agora, quando cheguei em casa, que me dei conta do quanto fui boba. O medo poderia ter me paralisado se tivesse dado créditos a ele.. Mas é tão comum pedir informação, é tão comum aprendermos algo novo a todo instante. Fiquei rindo de mim toda boba e grata por não deixar o medo do novo me bloquear de aprender algo novo. 
          Agora sei pegar busão para mais um bairro da cidade. Olha que lindo!
          Foi só por isso que vim aqui escrever isso. As vezes damos tanto crédito a babaquices que pensamos e deixamos de dar um sorriso ou de se jogar para algo novo pelo medo da não aceitação, da vergonha e do fracasso. Poderia até descer no ponto errado, porém, era só pegar o próximo ônibus e encontrar o ponto certo. O importante não era aprender? Hoje, aprendi a lição, mesmo que numa situação simples. Realmente! Quem tem boca vai a Roma... Então, é pra lá que eu vou! Borá?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Só de você ter chego à caixinha de comentários, ficamos imensamente felizes... Sintam-se à vontade para escrever e deixar suas opiniões... Valeu!